"Rasgue a camisa, enxugue meu pranto. Como prova de amor mostre teu novo canto, escreva num quadro em palavras gigantes. Pérola Negra, te amo, nem sei se te amo..." Natiruts
Hoje eu resolvi falar dela. Dela que, era para estar aqui hoje, amanhecendo diariamente do meu lado e construindo uma linda história como planejamos. Para escrever sobre, eu tomei algumas doses de whisky. Gosto do efeito meio tonto que ele me causa porque me faz lembrar que ela também tinha essa habilidade. Deixava-me tonto de amor. De prazer. De satisfação. De felicidade. Costumo lembrar-me dela como o drama teatral mais bem escrito que já houve. Desses que vai do céu ao inferno sem perder a essência e o sentido. Confunde em alguns momentos, prende a atenção do público e no final recebe um coro de aplausos por ser único na sua forma mais intensa de ser. Ela é assim. Um drama. Um enigma. Um teatro. Uma arte. Quando a conheci, o coração tratou logo de acelerar os batimentos. Acionou o botão suor e começou a rodar a engrenagem que ativa o nervosismo. Meu Deus, como eu estava nervoso. Já ela, livre, leve e solta. Estava completamente desamarrada de qualquer tipo de timidez. Preciso dizer que ela é a forma mais sólida da palavra maravilha. Ela sabia ser maravilhosa na fala, no sorriso, no jeito, no andar e na marra. Sabia ser maravilhosa no banheiro, na cozinha, na cama e na sala. E assim como este whisky arde quando entra, ela também me queimava por dentro com toda a entrega que me dava. Era quase uma explosão de tanto amor. Agora falando no passado como tempo verbal, ela era a mais. A boa. A melhor. A tal. A que podia tudo. A que fazia tudo. A que sabia ser tudo. Ela foi a minha história mais bem vivida até deixar de ser. E nossa, quando o final foi tomando forma, as coisas mudaram tanto. Nós mudamos tanto. Tudo se modificou de uma maneira tão estranha que eu não consigo acreditar na possibilidade de que nós fomos quem permitimos que o caos tomasse conta. Na verdade, acredito que tinha realmente que acontecer. Que o fim tinha que chegar. E que nós, no final das contas, tínhamos que nos tornar apenas lembranças um do outro. O amor que juramos ser eterno parou na esquina. Deixou de fazer sentir e nos partiu ao meio. Poderia ter sido diferente, talvez. Mas ela era tão dos vera. Daquelas que decide sem medo. Que não espera. Com ela era vai ou fica. Não insista. Hasta La vista. Ela deixou de ser minha no momento em que o amor deixou de ser nosso. Ela se foi, eu fiquei. O tempo passou, eu “reamei’. E remei. E nadei. E atravessei tantos rios, mas nenhuma correnteza foi forte o suficiente para me fazer esquecê-la. É que além de tudo, ela soube ser inesquecível da sua maneira mais despretensiosa e intensa possível.
(via mmfernanda)
Eu fiquei quieto,
enquanto
uma
inquietude
de sentimentos
me destruía
por dentro.
A Solidão de James.  (via aventurador)
Me perdi,
entre tantos
entretantos.
Cambaleei.   (via antipoetico)
Sexo verbal não faz meu estilo, palavras são erros e os erros são seus. Não quero lembrar que eu erro também. Um dia pretendo tentar descobrir, porque é mais forte quem sabe mentir. Não quero lembrar que eu minto também. Eu sei. Feche a porta do seu quarto porque se toca o telefone pode ser alguém com quem você quer falar por horas e horas e horas… A noite acabou, talvez tenhamos que fugir sem você. Mas não, não vá agora, quero honras e promessas; lembranças e estórias. Somos pássaro novo longe do ninho… Eu sei.
Renato Russo. (via c-o-n-c-o-r-d-i-a)
Lá no alto
O sol quente me leva num salto
Pro lado contrário do asfalto
Pro lado contrário da dor.
Chico Buarque (via suavidez)

nevou:

Diga-me algo

fale de amor
sussurre
grite
escreva
à sua maneira
diga-me algo, amor.

bc.

Talvez seja mais como o que você falou antes, rachaduras em todos nós. Como se cada um tivesse começado como um navio inteiramente à prova d’água. Mas as coisas vão acontecendo… as pessoas se vão, ou deixam de nos amar, ou não nos entendem, ou nós não as entendemos… e nós perdemos, erramos, magoamos uns aos outros. E o navio começa a rachar em determinados lugares. E então, quando o navio racha, o final é inevitável.
Cidades de Papel. (via s0nhos-proibidos)
Eu te amei muito. Nunca disse, como você também não disse, mas acho que você soube. Pena que as grandes e as cucas confusas não saibam amar. Pena também que a gente se envergonhe de dizer, a gente não devia ter vergonha do que é bonito. Penso sempre que um dia a gente vai se encontrar de novo, e que então tudo vai ser mais claro, que não vai mais haver medo nem coisas falsas. Há uma porção de coisas minhas que você não sabe, e que precisaria saber para compreender todas as vezes que fugi de você e voltei e tornei a fugir. São coisas difíceis de serem contadas, mais difíceis talvez de serem compreendidas, se um dia a gente se encontrar de novo, em amor, eu direi delas, caso contrário não será preciso. Essas coisas não pedem resposta nem ressonância alguma em você: eu só queria que você soubesse do muito amor e ternura que eu tinha e tenho pra você. Acho que é bom a gente saber que existe desse jeito em alguém, como você existe em mim.
(via mmfernanda)
Dê sorrisos sinceros, abraços apertados, olhares demorados. Dance sozinho na chuva. Grite alto sua felicidade. Cante no chuveiro. Diga o que vier na sua mente. Beije sempre como se fosse a última vez. Sabia que tudo aquilo que é intenso se torna inesquecível? Você nunca vai esquecer do dia em que passou uma tarde com sua melhor amiga em meio a risadas enquanto jogavam conversa fora, como se nada mais importasse. Só aquele momento. Pequenos momentos que de tão intensos, permanecem para sempre em nossas memórias. Você nunca vai se esquecer daquele dia em que assistiu o pôr-do-sol ao lado dele. Duas pessoas. Silêncio. Pensamentos que se desejam. Olhos que não conseguem se manter afastados. Sorrisos que não precisam de motivos. Mãos que insistem em se encontrar. Pode ser que esse momento dure cinco minutos. Talvez dez. Mas em suas lembranças ele vai viver para sempre. Você nunca vai esquecer dos dias em que deu risada até chorar. Dos dias em que correu na chuva. Dos dias em que chorou como se todos problemas fossem se resolver com lágrimas. Dos dias em que tomou decisões para se arrepender logo depois. Dos dias em que gritou mesmo que ninguém escutasse. Das dolorosas despedidas. Dos encontros de alma que a vida trouxe. Você nunca vai esquecer. Faça com que sua vida seja uma série de pequenos momentos. Coisas simples que nos fazem ficar com um sorriso no rosto por dias, meses, anos. Porque são esses pequenos momentos que nos fazem acreditar em mágica. Eu acredito, e você?
(via mmfernanda)
theme